Histórias Feministas em exposição na cidade de São Paulo

Histórias Feministas em exposição na cidade de São Paulo
setembro 12, 2019 Priscila Kikuchi

Na terça feira (11/09/2019) Teoria Feminista visitou à exposição Historia das Mulheres. Histórias Feministas, que está em cartaz no MASP.

A exposição vai até o dia 17/11/2019. Pra você que mora pelos arredores de Sampa, não tem desculpa para não agendar um horário e passar por lá, e pra quem não mora por aqui, mas tem alguma coisa marcada nesse período, vale a pena tentar organizar os horários e conferir.

Toda terça-feira a entrada é gratuita, nos outros dias o valor do ingresso é de 40 reais (inteira). Para maiores informações confira o site do MASP https://masp.org.br/.

A exposição reúne mais de trinta artista e coletivos que emergiram no século XXI e que trabalham com base na perspectiva feminista. Foi aproximadamente nos anos de 1960 e 1980 que o feminismo no âmbito das artes ganhou um significativa visibilidade, principalmente porque ela questionou a noção de mulher paradigmática nas obras de arte.

Segundo a curadora da exposição Isabella Rjeille, o MASP aborda estas histórias reconhecendo o seu contexto enquanto museu localizado no Sul Global, localizado em uma das principais avenidas da cidade de São Paulo, que também é palco de diversas manifestações políticas e construção de novas narrativas. Esse reconhecimento coaduna muito com o que o Teoria Feminista acredita enquanto feminismo pós-colonial e de(s)colonial.

“Não existe uma definição única do que constituíram as práticas e estratégias feministas na arte, mas há o entendimento plural de suas vertentes… por isso foram chamadas histórias feministas no plural.” (Isabella Rjeille)

Ao visitar a exposição é perceptível a preocupação com essa dimensão plural, o acervo possui obras e instalações de mulheres de diversos lugares do mundo, com múltiplos olhares capazes de transmitir uma compreensão do que os feminismos representam em cada contexto social distinto.

“A aproximação entre feminismo e arte é uma prática capaz de provocar fricções e diálogos trans-históricos e transnacionais, capaz de revirar e confrontar imaginários, histórias e narrativas apagadas, elaborar corpos e sujeitxs como ferramentas de transformação.” (Isabella Rjeille)

Por fim, essa exposição mostra o potencial de transformação que existe nos feminismos. Além disso mostra a sensibilidade e a capacidade de mulheres se ressignificarem dentro do processo de criação.

 

Referência: Panfleto da Exposição Histórias das Mulheres. Histórias Feministas. 2019.