Teóricas Feministas que inspiram: Carla Akotirene

Teóricas Feministas que inspiram: Carla Akotirene
agosto 11, 2019 Priscila Kikuchi

Teóricas Feministas que inspiram

Carla Akotirene

Carla Adriana da Silva Santos é nordestina, bacharela em Serviço Social, Mestra e Doutoranda em Estudos Interdisciplinares sobre de Gênero, Mulheres e Feminismo pela Universidade Federal da Bahia. Concentra estudos sobre racismo e sexismo institucionais.

Atualmente é responsável pela Opará Saberes, iniciativa que visa instrumentalizar candidaturas negras, em especial mulheres, para o ingresso na Universidade, modalidade scrictu sensu. Atua na Saúde municipal atendendo mulheres vítimas de violências domésticas. 

Também trabalho como cordeira e segurança nos blocos no Carnaval, e possui uma trajetória interessante nos estudos sobre racismo e sexismos institucionais nas penitenciárias femininas.

Adotou o nome Akotirene (primeira líder do Quilombo dos Palmares, Akotirene foi considerada a matriarca e conselheira dos primeiros negros refugiados) como nome político em 2004, quando fazia parte da primeira turma do Projeto POMPA (Mentes e Portas Abertas – Instituto Steve Biko).

De acordo com Carla Akotirene, neste espaço ela teve a oportunidade de resgatar a sua ancestralidade e cosmovisão africana. “Passei a ser Akotirene e a me esforçar para parecer com esta grande mentora intelectual da organização quilombola”.

 

Livro: Interseccionalidade

O seu primeiro livro autoral, intitulado ‘O que é Interseccionalidade?’, traz olhares e críticas ao conceito, dialogando com autoras como Angela Davis, Ochy Curiel, Gilza Marques, Jasbir Puar, Sueli Carneiro, Patrícia Hill Collins e Houria Bouteldja.

A publicação faz parte da coleção Feminismos Plurais, elaborado pela filósofa Djamila Ribeiro, e conta com escritas de outras referências no campo acadêmico.

Ao falar sobre o tema, ela disse se sentir honrada em poder representar as mulheres negras nordestinas no espaço acadêmico que antes era ocupado por pessoas brancas, ressaltando a importância do conhecimento que é transmitido pelas mulheres negras que não estão no ambiente acadêmico.“O conhecimento precisa respeitar toda diversidade que representa o feminismo negro”.

 

Descolonização, interseccionalidade e feminismo negro em Carla Akotirene.

 

É oportuno descolonizar perspectivas hegemônicas… Adotar o Atlântico como locus de opressões cruzadas…  História e migração forçada de africanas e africanos… Etnias traficadas como mercadorias nas culturas afogadas, nos binarismos identitários, contrapostos humanos e não humanos.

A interseccionalidade nos mostra mulheres negras, mulheres de cor, mulheres lésbicas, terceiro-mundistas, interceptadas pelos trânsitos das diferenciações, sempre dispostos a excluir identidades e subjetividades complexificadas desde a colonização até a colonilidade. contrapostos humanos e não humanos.

Teoria, metodologia, e instrumento prático, a interseccionalidade revela o ciclo lunar de militância encabeçada pelas intelectuais negras, numa diversidade de marés na história do feminismo, rejeita a brancura das ondas feministas, que não passaram experiências de colonização e nem sequer compuseram o projeto intelectual emocionado, manifesto de força teórica negra, sem estar presa às correntes eurocêntricas e saberes narcísicos.

A interseccionalidade é a autoridade intelectual de todas as mulheres que um dia foram interrompidas. A interseccionalidade é sofisticada fonte de água, metodológica, proposta por uma intelectual negra, por isso é tão difícil de engolir seus feitos mundo a fora.

AKOTIRENE, Carla. Interseccionalidade. Coleção Feminismos Plurais. Selo Sueli Carneiro. Editora Pólen. São Paulo. 2019.

Fontes:

http://buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.do?id=K4449931Z6

http://www.aldeianago.com.br/noticias-da-cidadania/21781-perfil-e-opiniao-entrevista-carla-akotirene

https://www.agendartecultura.com.br/noticias/conhecimento-precisa-respeitar-diversidade-carla-akotirene-ufba/

http://correionago.ning.com/profiles/blogs/bikodisse-entrevista-carla

https://medium.com/revista-bravo/akotirenes-e-dandaras-1a0c6f2bbe34

https://portal.aprendiz.uol.com.br/2018/05/29/projeto-realiza-em-comunidade-quilombola-incentiva-presenca-de-mulheres-na-ciencia/